Arquivo da categoria: Religião

Em busca da EBF perdida

       As lembranças mais tenras que possuo da igreja em minha infância é da EBF (Escola Bíblica de Férias). Eu esperava o ano todo pelo momento das férias, contava dias, horas, minutos e segundos para o momento tão esperado… O começo das preparações para EBF. Tive o privilégio de ter tido como pastora de criança pessoas que amavam o ministério com crianças, dispostas

a doarem seu tempo e vida por essa missão. Preciso destacar que dentre estas a que mais me influenciou e até hoje tem sido minha mentora (minha mãe). Se meu coração hoje arde de amor por este ministério é por ter crescido, trabalhado e aprendido com ela a felicidade de pregar o evangelho para essa garotada e ao mesmo tempo poder compartilhar o duro e difícil caminho do sofrimento e lágrimas por amor aos pequeninos.

            Lembro-me das incontáveis tardes em que passávamos com a equipe da EBF fazendo bonecas dos mais variados tipos para poder presentear as crianças no ultimo dia da EBF. Eram bonecas feitas de papel, embalagem de café, de colher, bonecas de pano. O ano em que as bonecas foram mais chiques foi o que se comprou bonecas simples, sem roupa, e passaram-se semanas costurando vestidos, colando cabelos e chapéus em suas cabeças. Eu devia ter uns oito anos na época e nada me deliciava mais do que estar ali. Pra mim a EBF já tinha começado. Quando faltava uma semana pra começar, às vezes virávamos noites confeccionando presentes, cânticos e versículos ilustrados, fazendo saquinhos de doces, entre outros que não consigo me lembrar.

          Lembro-me da caminhada pelo bairro que minha mãe fazia comigo e meus dois irmãos por bairro adentro. Chamávamos as crianças e uma fila de crianças de todas as idades se formava atrás de nós.

            Lembro-me da música de abertura da EBF, quando rodeávamos marchando em círculos dentro do templo cantando “Quando venho andando para EBF venho alegre! Venho alegre! Porque foi aqui onde eu aprendi que Jesus já me salvou. Do pecado sim, regatou a mim! A você também o bom Deus quer bem! Quando venho andando para EBF venho alegre e sou feliz!…”

             Lembro-me das histórias que nos eram contadas. O mais esperado eram os fantoches. Como nós amávamos ouvir historias com fantoches! Era algo que praticamente nos hipnotizava. E os livros… eram simples, coloridos a mão. Aquelas historias eram marcantes.

         Lembro-me até hoje da atividade manual que fazíamos com palitos de picolé. Fazíamos porta-jóias, porta-lápis, casinha de passarinho e tudo mais que nossa imaginação permitisse. Muita tinta de todas as cores nos permitia pintar a verdadeira aquarela que nossa imaginação nos levava.

            Lembro-me do concurso de visitantes. Eu já sabia qual seria o premio. Eram sempre livros contando a vidas de algum missionário. Mais o prazer e a alegria de levar mais visitantes era o mais valioso para mim. Que honra ser a criança que mais levou visitante!

            Lembro-me dos apelos no final de cada dia. Tantas crianças e amiguinhos meus que puderam receber a mensagem de salvação em seu coração. Crianças que hoje adultas servem a Cristo e tudo começou na EBF.

            Lembro-me que no ultimo dia a EBF sempre terminava às 18h, porque tínhamos 1 hora a mais para a recreação no terreno da igreja.

            Lembro-me da música de despedida da EBF. Cantavamos varias vezes … “Adeus, adeus, adeus a todos vós. Adeus, adeus, as horas já passaram. Adeus, adeus, adeus a todos vós. Voltemos todos amanha… Adeus, adeus, adeus.”. Mais o dia em que meu coração se apertava era o ultimo. Cantava com uma tristeza de saber que já tinha acabado. Uma semana se passou tão depressa. A impressão era de que havia sido roubado o tempo de mim. Sete dias… foi pouco.

            Lembro-me das mãos marcadas e calejadas de todas as tias que trabalhavam na EBF. Realizavam pela fé o que infelizmente na maioria das vezes a igreja não enxergava como relevante ou de valor.

            Lembro-me das lágrimas de minha mãe. Chorava, pedia a Deus força, mais nunca desistiu dos pequeninos. Dessas lágrimas já pude compartilhar muitas vezes por ter resolvido escutar o chamado de pastoreio de crianças. Suas lágrimas me ensinaram amar esse ministério e NUNCA DESISTIR!

            Lembranças…

            Escrevo este texto com lágrimas nos olhos, coração contrito, triste e preocupado com o que o futuro tem reservado para nossas crianças.

            Onde estão as mãos dispostas a doar tempo e esforço? O que aconteceu com a EBF? Hoje tenho visto muitas igrejas adotando a terminologia de “Colônia de Férias”. Entenda, não sou uma pessoa resistente a mudanças, porém muito me preocupa quando se perde o sentido do que se está fazendo. Creio e aprendi que a EBF possui com objetivo central levar a mensagem de salvação para as crianças. Elas precisam de tempo adequado para ouvir a mensagem de salvação. Dentre todas as lembranças que ela possa levar para o seu lar a essencial e mais importante é a mensagem da salvação, e isso é inegociável. E o que seria negociável? Todo o restante.

            Precisamos pregar o evangelho para as crianças em todo o tempo. O que vejo de mais magnífico na EBF é a oportunidade de abrir as portas da igreja para a comunidade (portas que devem sempre estar abertas). A garotada está de férias gente! Na rua, em casa, ou pode estar com a gente lá na casa de Deus aprendendo que Jesus a ama, que morreu por ela.

            A pergunta que deixo para todos (inclusive para mim mesmo) é: Estamos oferecendo tempo suficiente para as crianças receberem a mensagem da salvação? O que estamos priorizando em nosso cronograma de EBF? Estamos nos certificando que as crianças ao regressarem para seus lares levam consigo a mensagem da salvação. Se não, nada disso tem valor, e realmente se fez uma Colônia de férias onde o objetivo central é a diversão e não a propagação do evangelho do nosso Senhor Jesus Cristo.

            Em Marcos 10:14 podemos descobrir o sentimento de Jesus por quem impede as crianças de receberem sua mensagem de salvação: “Quando Jesus viu isso, ficou indignado e lhes disse: “Deixem vir a mim as crianças, não as impeçam; pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas”.”.

            Que nossa oração seja somente uma: Senhor Jesus, eis aqui nossa vida, nossa juventude, nossa força e nosso tempo. Tudo é seu e somente seu. Ajude-nos a doar nossas férias para sua obra. A dizer não para o que muitas vezes é terrivelmente atraente aos nossos olhos em prol dos pequeninos. Que uma semana de EBF não represente algo inalcançável por ser cansativo. Traga a nossa memória sua promessa (Ele fortalece ao cansado e dá grande vigor ao que está sem forças –Isaías 40:29). Que brincadeiras, jogos e métodos não sejam mais importantes e atrativos do que a mensagem de salvação que tu nos oferece.

            Chego ao final deste texto com o coração esperançoso, pois se esta mensagem chegou até você foi com um propósito e fim determinado. Que Deus nos abençoe e renove nossas forças. Que nossas vidas sejam o reflexo de Cristo para todos ao nosso redor. Amém.

Anúncios